16 de dez de 2010

VELHOS TEMPO DE INFÂNCIA

Os velhos tempos de infância. Quantos sonhos e quantos mundos desbravados. Quantas aventuras e quantos monstros eu fui capaz de enfrentar. Quantas árvores e quantos machucados, mas sempre superei e fui além.
Um tempo onde a criatividade estava acima de qualquer coisa. Um tempo onde imaginávamos um ano 2000 ainda muito longe, onde existiriam carros voadores e máquinas do tempo.
Os velhos tempos de infância. Em meus velhos tempos de infância tudo era uma brincadeira. O mundo era do jeito que eu queria, podia transformar gravetos em espadas e um simples cachorro era um dragão vindo de montanhas longínquas.
Os velhos tempos de infância. Tempos remotos tão presentes. Mas tempos que hoje para mim já não existem mais. Pena que os meus velhos tempos de infância tenham envelhecido junto comigo. Entristece-me ter consciência de que tudo é somente uma memória dentro de mim. É muito complicado e difícil manter os tempos de infância ainda presente, com o avanço da idade.
Velhos tempos de infância. Mas sabe de uma coisa, me deixa feliz saber que ainda existem lugares onde os velhos tempos ainda existem e se mantêm jovens, e que toda diversão é vinda de dentro do coração.
E é engraçado, buscamos tanto crescer para um dia acabar querendo voltar aos velhos tempos de infância. Como seria bom se alguém nos ensinasse a manter este sentimento durante toda a vida. Mas felizmente aprendemos, mesmo que seja momentos antes da nossa partida, acabamos aprendendo.

2 comentários:

  1. Carros voadores no ano 2000... eu também acreditava nisso =) hehe
    Acho que não tem coisa melhor do que enxergar o mundo pelos olhos inocentes de uma criança, onde até coisas banais se transformam em motivo de riso e alegria e onde éramos o que queríamos ser e vivíamos no mundo da criatividade.
    É como dizem por aí, as vezes precisamos perder algo para saber o quão valioso ele era. Só quando conseguimos o que tanto desejávamos, crescer, é que percebemos quão melhor estávamos antes =) é a vida... hehe

    Gostei do texto. Apenas achei muito repetitivo o "velhos tempos de infância"

    Abraços,
    Aninha
    http://thementalmorfose.blogspot.com/

    ResponderExcluir